Domingo, 23 de Junho de 2024 10:50
(89) 98819 1028
Polícia TIMON - MA

Filho mata pai acamado de 86 anos a pedradas e agride mãe em Timon

Além de assassinar o próprio pai, suspeito teria agredido a mãe que foi encaminhada ao hospital

04/06/2024 11h53
Por: Carlos Valentim
Filho mata pai acamado de 86 anos a pedradas e agride mãe em Timon

Uma tragédia familiar abalou o bairro Parque União, em Timon, onde um filho matou o pai a pedradas e tentou matar a mãe, também utilizando uma pedra. O crime aconteceu no início da madrugada desta terça-feira (04).

O homem foi identificado como Agnor de Freitas Pereira, 47 anos. Ele chegou em casa pouco depois de 1h, pegou uma pedra que sobrou da reforma da casa e aplicou dois golpes na mãe, Maria de Isonia de Freitas Pereira, 64 anos, que dormia no mesmo quarto que o agressor. Ela foi atingida na cabeça e no ombro. Em seguida, ele foi até o quarto do pai, João Pereira Neto, 86 anos, e desferiu vários golpes na cabeça dele. O idoso estava acamado há cerca de três anos e não teve como se defender.

Foto: Renato Andrade/ Cidadeverde.com 

Após golpear os pais, Agnor foi até o quarto do irmão e pediu uma faca para terminar de matar o pai.

"Ele bateu na porta do meu quarto e, quando eu abri, ele pediu uma faca para terminar de matar nosso pai. Ele disse que ele estava sofrendo muito", relatou Agnaldo Freitas.

Agnaldo então chamou a polícia e o Samu. O Sr. João Neto foi socorrido e levado ao hospital, mas faleceu por volta das 5h. Muito abalada, a matriarca da família disse que não esperava por uma tragédia como essa.

Segundo a mãe e o irmão de Agnor, ele teve um surto em abril e chegou a ser internado no Hospital Areolino de Abreu. "Ele voltou para casa bem, com a receita para tomar a medicação e o encaminhamento para continuar o tratamento aqui em Timon, mas ele não foi lá", disse a mãe.

Foto: Renato Andrade/ Cidadeverde.com 

Há cerca de 15 dias, Agnor voltou a beber todos os dias.

"Ele saía de casa de manhã, sem tomar café, e voltava tarde da noite. Estava magro e com a pele queimada, até parecia que estava trabalhando na roça", disse a mãe.

Os vizinhos disseram ao Cidadeverde.com que Agnor era cuidadoso com os pais, mas quando estava bebendo, ele se transformava. "Ele limpava a casa, lavava roupa e cuidava dos pais. Ele dava comida na boca do pai dele. Mas, quando estava bebendo, se transformava e abandonava os cuidados com a família", disse um vizinho que não quis se identificar.

Outro vizinho explicou que Agnor sofre de transtorno mental, que dizia ouvir vozes e já havia atentado contra a própria vida várias vezes. A última vez aconteceu em abril deste ano, quando ele se feriu e a Polícia Militar utilizou um taser, uma arma de choque não letal, para contê-lo.

Agnaldo também já foi vítima do irmão. Em 2022, eles discutiram e entraram em luta corporal. Agnor teria utilizado um pau para agredir o irmão, e acabou causando uma fratura no braço de Agnaldo.

Agnor foi preso pela Polícia Militar em flagrante. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Timon (MA).

Foto: Renato Andrade/ Cidadeverde.com 

Segundo o delegado Otávio Chaves, que investiga o caso ainda não foi possível  ouvir Agnor. 

"O crime deixou nossa equipe chocada. Ele foi contido pela Polícia Militar e levado à Central de Flagrantes em surto. Ele estava sob efeito de bebida alcoólica e acreditamos que ele tenha algum problema psiquiátrico, também. Já colhemos o depoimento da mãe e do irmão dele, que também estava na casa, no momento do crime. Agora temos 10 dias para encerrar o inquérito", disse.

Se sua condição de Pessoa Portadora de Necessidade Especial (PPD) ele pode cumprir pena em instituição psiquiatra.

Fonte: CidadeVerde.com
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias